Carreira - Trabalho - Emprego

11 dicas certeiras para conseguir seu primeiro emprego

11 dicas certeiras para conseguir seu primeiro emprego

Tempo de leitura: 11min 23 seg.

Se preferir ouça:

Para quem já tem alguns anos a mais de vida, incertezas econômicas sempre fizeram parte da rotina profissional. Dessa forma qualquer que seja o momento ou tipo de crise, acredite você ou não, será apenas mais uma crise a ser vencida por qualquer profissional independente do seu nível de experiência.

 

Não existe varinha mágica para conseguir seu primeiro emprego.

 

No Brasil segundo algumas estimativas encontradas na internet o tempo de recolocação pode demorar em média 14 meses, isso para pessoas que já estiveram empregadas um dia.

 

Também é importante entender que existem dois tipos de empregos pelo menos na visão do nosso coach Rogério Oliveira: o de subsistência e o de existência. O primeiro é útil quando estamos com alguma dificuldade agora; já o de existência é aquele que merecemos, afinal estudamos, nos esforçamos. Deve-se tomar cuidado para que o emprego de subsistência não se perpetue.

 

Leia também:

Recolocação profissional – 12 dicas infalíveis para você sair na frente – leia agora

 

A seguir, 11 dicas para conseguir seu primeiro emprego. Esperamos poder ajudar. Vamos lá:

Primeira: Aceitação: Acreditamos que a primeira coisa deva ser “aceitar” que você não tem experiência. Muitas pessoas passam dias, meses e até anos achando que o mercado é mal porque pedem o que você não tem neste momento. Então antes de sair por aí é melhor respirar fundo, agradecer por ter um diploma, estar em condições de jogo e liberar a mente para este desafio.

 

Segunda: Manter a sua autoestima lá em cima. E isso significa acreditar que é possível e você tem potencial. Sabemos que a pressão é muito grande, seja porque acabamos de nos formar, seja porque o seu amigo conseguiu um emprego primeiro do que você, seja porque você se sente improdutivo, seja porque sua família começa a te questionar e por aí vai. Questões de auto estima podem ser resolvidos com sessões de psicólogo ou em casos leves, ter a serenidade para aceitar o momento e continuar em frente ajudam bastante, mas tem que ser frio e calculista (como um dia possivelmente você já foi: lembre-se dos momentos da sua vida em que você teve que tomar uma decisão importante. Pois é: possivelmente você foi frio e calculista: use essa mesma força agora.

 

Terceira: Listar seus pontos fortes e não tão fortes assim. Parece clichê, mas a grande maioria das pessoas não sabe exatamente quais são seus pontos fortes e não tão fortes assim. Sabe porquê? Porque não estamos muitas vezes preparados para receber elogios ou críticas. Estes elogios ou críticas são seus pontos fortes e fracos. Use esses limões para fazer uma grande limonada.

Procure seus pares de estágio, de trabalhos voluntários, amigos de confiança e até seus pais e peça a resposta para a seguinte pergunta: no que eu sou bom e não tão bom assim e com as respostas crie uma lista de pontos fortes e fracos, mas atenção, não estamos falando da parte técnica, aquela que você aprendeu na escola: o que você aprendeu lá é o mínimo aceitável para conseguir o emprego. O que as empresas querem é mais do que conhecimento técnico; querem pessoas que conheçam a si próprias e as ajudem. Então liderança, comunicação, organização, dentre outros são comportamentos sempre bem vindos em qualquer ambiente de trabalho.

 

Quarta: Listar suas experiências ao seu favor. Você não tem experiência na área, mas obteve experiência no estágio ou em algum trabalho voluntário certo? Se você faz parte desse grupo liste não só o nome da empresa e o cargo que você ocupou, mas mencione qual foi a sua colaboração para o sucesso durante o período em que esteve lá.

As vezes fazemos o favor de não dar o devido valor para aquilo que fazemos, então pergunte as pessoas com o qual você se relacionou: o que na sua visão durante o tempo em que estive aí, fiz de bom para o departamento, área, equipe, etc.?

 

Ah, mas eu não fiz estágio ou trabalho voluntário? Maravilha: então como já dissemos: aceite esta situação e foque seu currículo nos comportamentos que segundo a visão da sua rede de contatos são os seus diferenciais.

 

Dica! Existem muitos lugares que possivelmente estejam precisando de trabalho voluntário, além do sites como o Workana onde você pode prestar serviços como freelance até atingir o resultado que você quer: seu emprego com carteira registrada.

 

Quinta: Entender que a pessoa física é diferente da pessoa profissional. Pelo menos boa parte das empresas não importa o porte, não contrata mais pessoas e sim profissionais que vão ajudá-las a resolver um problema; uma dor. Então antes de qualquer entrevista ou envio de currículo se preparar e personalizar o currículo/apresentação sobre como o candidato pode ajudar a aumentar a receita, melhorar a satisfação dos clientes internos ou externos, ou ainda diminuir custos, irá soar como música para os ouvidos de qualquer recrutador. Dessa forma é importante não só estudar a empresa, mas a linha de produtos, o mercado e por aí vai, ajustando o seu conhecimento técnico, pontos fortes e a melhorar com as necessidades da oportunidade.

 

Sexta: Mapear oportunidades. Pelo menos a grande maioria das empresas que se prese mapeia clientes em potencial para os seus produtos e o mesmo deve acontecer com o profissional respondendo perguntas como: quais são os tipos de empresas ou mercados que minhas qualidades podem ser úteis? Quais não são? Aonde se localizam estas empresas? Quem lá dentro são os responsáveis pela contratação?  Qual o valor que estou predisposto a ganhar (qual seria o mínimo e o desejável)? Hoje em dia com um pouco de paciência e vontade utilizando ferramentas disponíveis na internet é possível obter boa parte de informações relevantes.

 

Sétima: Seguir estas empresas e os potenciais recrutadores nas redes sociais procurando acompanhar o que acontece, não só para ficar a par, mas como o candidato poderá ajudar quando a oportunidade surgir. Dica: normalmente quando a empresa faz uma publicação, algum colaborador da própria empresa curte ou comenta, e esta pessoa pode ser o primeiro contato que pode oferecer informações úteis, porém é necessário atitude.

O Linkedin é uma ótima ferramenta para encontrar profissionais das empresas ou mercado que possam ser estratégicos para você. Mas o seu uso é bem diferente do Instagram, TikTok ou Facebook por exemplo. Então antes mesmo de abrir sua conta profissional procure tutoriais na internet sobre esta ferramenta, use e abuse das suas funcionalidades.

Outra opção bacana é o Google Alertas no qual você poderá criar alertas e receber informações importantes sobre o que você quiser como tendências do seu mercado, vagas e oportunidades em determinadas empresas, cidades, regiões, etc.

 

Oitava: Interagir nas redes sociais colocando seu ponto de vista profissional para assuntos relacionados ao seu conhecimento técnico. Não dá para contratar alguém nos dias de hoje que só curti, comenta ou compartilha fotos de festas, eventos ou memes.

 

Materiais grátis complementares:

Auto Avaliação online: O que você tem feito para crescer profissionalmente – preencha e receba uma avaliação sem compromisso – clica aqui.

Planilha grátis: Criação de metas e objetivos – Baixe grátis e use já – clica aqui.

E-book: Guinada Profissional – o caminho para o sucesso – baixe grátis

 

Nona: Não depender exclusivamente das agências de empregos. Claro que elas são e sempre serão importantes, mas usar seus contatos é sempre mais importante e inteligente. Para que serve ter mil seguidores em uma rede social se você não os conhece, não sabe o que fazem, não interage ou mesmo não comunica “em mensagens individuais e personalizadas” o que você está procurando? É o tal do velho “networking” e nunca é tarde para começar e não parar mais.

 

Décima: Uma dica especial que nosso coach Rogério Oliveira usa muito em sua vida pessoal e profissional: escrever e afixar em um lugar visível (diga-se de passagem: bem visível) quais são seus pontos fortes, quais são os pontos a melhorar e como fará isso; qual o tipo de empresa ou mercado procura, em que região e quanto pretende ganhar para que isto fique martelando na cabeça, criando assim alertas mentais para que a pessoa se lembre do que quer e não do que não quer.

 

Décima primeira: Contar com o apoio de um coach. O coaching de carreira pode ajudá-lo a traçar metas alcançáveis e reais, criar um plano de ação realizável e acompanhá-lo durante o trajeto, fazendo correções, ajustes ou ajudando você a enxergar muitas vezes aquilo que está embaixo dos seus pés, porém não consegue ver por inúmeras situações.

 

Todos nós e nosso coach Rogério Oliveira se inclui aqui, podemos ser consumidos pela situação ou fazer parte de quem vai liderá-la, depende do quanto acreditamos e agimos para transformar o mundo ao nosso redor, afinal não importa que situação estamos passando, o que importa é a situação que queremos.

 

Precisa de ajuda para conquistar seu primeiro emprego? Fale conosco. Solicite uma apresentação sem compromisso através do nosso assistente virtual, o Open Mind, clicando aqui.

Leader Board – Guinada Profissional – o caminho para o sucesso

#seufuturorecomecaacadaminuto #vcnotopo #mercadodetrabalho #primeiroemprego #seufuturorecomecaacadaminuto #mentoria #resultadosreais #metasclaras #desenvolvimentohumano #coachingdevida #coachingdecarreira


Conheça outros materiais e ferramentas grátis clicando aqui

Tagged , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

About Rogério Oliveira

Coach Executivo e de Vida Internacional certificado pela Illuminata/ICC (International Coaching Community). Practitioner em PNL Sistêmica certificado pela Illuminata/Lambent do Brasil. Sócio-diretor da Megaplay Coaching. Empreteco (SEBRAE/SP) e empresário, atuando há mais de 20 anos como empresário, gestor e líder.
View all posts by Rogério Oliveira →