Performance Empresarial, Performance Profissional

Como a falta de produtividade dificulta o crescimento do seu negócio

Se você for só um pouquinho curioso (coisa de empreendedor) e fizer uma pesquisa rápida no Google sobre o significado da palavra “produtividade” encontrará mais de 12 milhões de definições, conceitos e exemplos sobre o assunto.

São muitas as definições e gurus para falar sobre o assunto não faltam.

Uma em especial me chamou a atenção:” produzir o máximo possível com a menor quantidade de recursos”.

Ahh se fosse tão simples assim. Esse tipo de definição leva quase sempre a lugar algum pois imagine: se alguém produz algo próximo de nada, qualquer ganho, por mais insignificante que seja, poderá fazer desta pessoa, equipe ou empresa um “case” de sucesso, mesmo que seja apenas para si, o que é um engano.

São muitos os fatores que podem levar uma empresa a baixa produtividade e competitividade. Cito alguns:

  • Longos processos de produção (fatores que levam a obtenção de um produto final, e olha, processos de produção não se aplicam apenas às indústrias: o varejo e os serviços também tem que olhar para dentro e entender seus processos de produção).
  • Dificuldade no crescimento.
  • Falta de inovação.
  • Falta de qualidade na entrega de tarefas, produtos e serviços gerando retrabalho e desperdício.

Segundo o Forum Econômico Mundial em 2019 o Brasil ocupava a 71a. posição em produtividade dentre 141 países avaliados.

O Brasil ocupa a 71o. posição no ranking de produtividade.

Parece algo distante quando são colocados números de um país, afinal o micro e pequeno empresário está mais preocupado com a sua sobrevivência e existência do que as condições do país como um todo, porém quem, pequeno, médio ou grande empresário já não se viu (para citar apenas alguns):

  • Tendo retrabalho.
  • Dependendo (ou se tornando reféns) de “alguns” fornecedores ou colaboradores.
  • Tomando decisões meramente intuitivas.
  • Começando várias coisas e não entregando quase nada.
  • Tendo que lidar com reclamações de clientes tidos como “chatos”.
  • Tendo que enfrentar as diversas regras que só o Brasil possui (que por sinal tem um nome: custo Brasil);
  • Investindo e não tendo o retorno esperado.
  • Sendo considerado obsoleto em seu negócio.
  • Não conseguindo resistir aos problemas que o crescimento empresarial traz.

E como resolver isso?

Muitas vezes o gestor, empreendedor ou empresário define suas metas baseada no que a concorrência está fazendo, ou apenas em seus instintos, o que é um engano.

Como um ser vivo, cada empresa tem suas peculiaridades e deve entendê-las para que a mudança seja sustentável e não haja radicalizações que podem muitas vezes serem consideradas um grande tiro no pé.

Claro que número de referências são importantes, mas procure se atentar aos números médios do mercado ou aos seus próprios.

O primeiro passo é entender a situação atual. 

Levantar os principais problemas que a sua empresa possui de forma imparcial já é um grande começo.

Em seguida, definir uma lista de prioridades ajuda muito.

Mas não é só: 

É importante definir uma métrica (um número) que represente a situação atual. Aqui entram as KPI´s (Indicadores de Performance). 

Se você não sabe onde está, qualquer caminho serve.

Uma vez que você esteja com os números na mão deste item que incomoda ou atrapalha tanto é necessário ir então para o próximo passo: a definição de uma meta smart (meta inteligente) que será usada como objetivo a ser alcançado.

E uma vez que esteja com a meta muito bem definida é hora então de:

  • E colocar as mãos na massa para que o planejamento não só saia do papel mas que gerem resultados que vão de encontro a meta estabelecida.

Procurando ajudar desenvolvemos e disponibilizamos uma planilha para criação de metas e plano de ações. Clique aqui para baixá-la gratuitamente.

Simples não é?

Nem tanto. É necessário foco, firmeza de propósito e disciplina.

Quando você trabalha em um objetivo por vez sua margem de erro fica próximo a zero, o que é ótimo. 

Quando você trabalha em 2 projetos simultâneos a margem de erro é de 20%. Quando você trabalha em 5, a margem de erro é de 75% aproximadamente.

E esse “bichinho” de achar que tudo pode ser resolvido ao mesmo tempo pode levar a empresa ao “caos”, a fazendo mais perder do que ganhar não só financeiramente mas emocionalmente pois espera-se muito e recebe-se pouco.

E é por isso (na minha humilde visão) que segundo a Revista Época apontou que apenas 61% das empresas fazem planejamento para seus negócios e dessas que a fazem apenas 10% conseguem entregar resultados ano a ano segundo o site Infomoney.

Apenas 61% das empresas fazem planejamento para seus negócios e 10% conseguem executá-las até o fim.

Dessa forma se a sua empresa precisa crescer de forma sustentável é necessário planejamento baseado na situação atual, indicadores de performance, metas, foco, disciplina e muito sangue frio.

E por falar em produtividade e planejamento empresarial, no próximo dia 05/10/21, terça, às 11h00 estarei promovendo uma Webinar Gratuita com o tema: Planejamento Estratégico para Micro e Pequenas Empresas.

Neste evento você conhecerá as principais etapas de um planejamento estratégico empresarial, entenderá quais são os principais problemas que ocorrem durante o planejamento e saberá quais os riscos que a sua empresa pode passar pela falta de planejamento e metas.

Clique aqui para se inscrever. É grátis. É para você que acredita que você e seu negócio merecem mais.

 

Conteúdo Relacionado:

Como a falta de metas pode prejudicar sua empresa

Planilha Grátis: Criação de metas e plano de ações

Tagged , , , , , , , , , , ,

About Rogério Oliveira

Coach Executivo e de Vida Internacional certificado pela Illuminata/ICC (International Coaching Community). Practitioner em PNL Sistêmica certificado pela Illuminata/Lambent do Brasil. Sócio-diretor da Megaplay Coaching. Empreteco (SEBRAE/SP) e empresário, atuando há mais de 20 anos como empresário, gestor e líder.
View all posts by Rogério Oliveira →